Total de visualizações de página

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Lá no fundo

Estudando as nuanças de meu caráter
percebe-se tons que emanam de detrminadas regiões
e como um aroma seguem seu caminho sendo atraídos pelos
seus respectivos olfatos.
Minha experiência tem degustado os mais diversos paladares
E as cores são estranhas
mas fascinantes!
o profundo e escuro pode ser menos ameaçador
sob a luz de uma vela
mas sua sedução pode ser o laço de morte
seguir o fluxo de um rio pode se levar a uma corredeira
ou uma hidrelétrica
minha impaciência sugere nadar contra, para evitar tropeços
minha preguiça me puxa para o fundo de um lago
onde me afogo em tanto extase acídico
que reencarno num bicho-preguiça
minha fé é renovada pela luz do luar
então estendo minhas asas e começo a voar,
planando por planícies frutíferas e verdes
é noite mas as cores me fazem sentido
há vida e a morte é transitória
dominam o púrpura e o verde
das tonalidades de preto eu gosto das mais escuras
com minha lanterna me aproximo do abismo
e percebo a multidão de espécimes que lá tem
lanço meu anzol cuidadosamente e percebo que a fumaça
sobe enquanto meu entendimento desce
estou surdo mas percebo pelo tato os sons agudos
meu coração vê a realidade de outra maneira
o inconsciente, lá no fundo é um pote do tesouro.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Como é belo o sol.

O anzol que é lançado
em alto mar
em busca do sagrado alimento
O peixe, a prefiguração da era do santo cristo
Os astros alinhados numa configuração que reflete
no comportamento humano
a tristeza da casa 12
O signo de peixes, e seu martírio finalizado
alimento para toda humanidade
o último suspiro de um herói
ele se esquece da sua imagem humana, e se entrega a deus
e desce a cova profunda da terra em busca de respostas...
dá liberdade aos demonios cativos no inconciente
e volta incorruptível na primaveira
anunciando mais uma colheita na casa do pão
e do vinho